segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

////
Lorena Tapavicsky, para cuidar de sua jovem irmã, desenvolveu avançadíssimas técnicas de culinária vegetariana. Preocupada em satisfazer não só a fome mas também levar experiências transcendentais ao paladar, estudou uma forma de tornar uma plantinha verde em algo que desperta desejos lascivos no céu da boca. O Brócolis Sky (Ou Brocolisky) surgiu desse amor fraternal, e com essa força ele arrebata cada vez mais fãs.
Ana Maria Braga, you lose
Ingredientes:

1 pacote de brócolis congelado
1 cebola pequena
1 caixa de creme de leite
2 colheres de sopa bem cheias de requeijão
1 pitada de noz moscada
1 colher de sopa de molho shoyo
1 pacote de queijo ralado
sal a gosto
Nunca nada verde foi tão saboroso
Modo de preparo:

Cozinhe o brócolis e a cebola cortada em rodelas finas no vapor (com o auxílio da boa e velha cuscuzeira), até ficarem macios.
Enquanto isso, misture no forno os demais ingredientes, até engrossar um pouco. Acerte o sal.
Depois, coloque o brócolis e a cebola num refratário, cubra com o molho, salpique com o queijo ralado e coloque no forno para gratinar.

Essa quantidade rende para duas pessoas, ambas do tipo não-monstro.

Rodolfo Nícolas não comia brócolis.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

////
Gabriela Máxima maximizou o sabor da batata, ela as encheu de vida. Num intrincado plano para conceder graça e pompa ao tubérculo de maior audiência no pais, Máxima se valeu de uma mistura de ingredientes e inspiração em outros pratos. Seria a Batata Máxima uma lasanha de batata? Seria um simples gratinado de batata? Não se engane simplório leitor, a preparação dá a própria batata um sabor não muito fácil de narrar e, o toque de vida (que alguns chamam de bacon) afeta a noção de realidade de quem come essa iguaria.
Pouco antes do raio...
Ingredientes:

10 batatas
500 g de bacon
350 g de queijo
2 bloquinhos de molho sazón sabor carne
3 colheres de manteiga
curry, sal e orégano a gosto
It's aliiiiive!
Modo de preparo:

Após partir as batatas em rodelas fininhas, coloque todas as fatias em uma panela e deixe cozinhar com o curry, o orégano  o sazon e a manteiga. Nesse momento tem que tomar cuidado para não ficar muito forte ou sem gosto (perceba o refino da receita). Aqui também tem que temperar com sal a gosto.

Depois de cozidas e bem amarelinhas (por causa do curry), intercale camadas de batatas, queijo e bacon em uma assadeira. Coloque no forno até o queijo derreter.

TCHARAN!!!!!!

Rodolfo Nícolas ama vida.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

////

A espera foi longa, mas, finalmente, chegou ao fim. Agora, Recife pode encher a boca (e a barriga) e dizer que tem as deliciosas Empadinhas Barnabé no seu extenso catálogo gastronômico. Não sei exatamente a data de inauguração, mas as duas lojas já estão deixando os recifenses mais felizes. Uma delas funciona no Shopping Recife e a outra na Praça de Casa Forte.

Nham nham nham... empadinha que se desmancha é o sucesso!

O meu caso de amor com essas delicinhas começou em julho de 2010, quando passei uma semana em João Pessoa, participando de um congresso. Foi amor à primeira mordida. Desde então, toda vez que fico sabendo que vou a Jampa, minha boca começa a salivar, pensando em Barnabé.
E o que tem de tão especial nessas benditas empadas? Elas são diferentes. Eu, normalmente, não sou a loka da empada, sempre acho que elas são massudas demais e têm gosto de azeitona. Mas as Empadinhas Barnabé, não! São feitas na hora, chegam à mesa quentinhas e se desmancham na primeira mordida. E você pode escolher entre nove sabores salgados e cinco doces. A minha favorita é a de chocolate e banana.

Para dar boas vindas à rede, fui na loja do shopping e pedi a minha favorita e a de charque com catupiry. Minha mãe foi na de camarão, mas ela não gostou muito, pois o camarão parece que vem processado, misturado com o resto do recheio. Já minha irmã, a vegetariana, pediu a de queijo e a de pizza, e elegeu a segunda como a melhor.
Os buracos na bandeja correspondem as empadas que Lorena comeu

O preço também é um ponto positivo. Todas as empadas custam R$ 3, pelo menos até o sucesso subir à cabeça e a inflação chegar na voadora. A única ressalva que tenho é em relação ao tamanho. Acho que, há dois anos, elas eram maiores. Mas a tendência deve ser essa. Olha só a casquinha do McD como ta miudinha!
E agora que a minha mandinga pra essas empadinhas virem pra Recife já deu certo, o foco agora é o serviço delivery, que já funciona na capital paraibana. Imagina só...



Lorena Tapavicsky quer se casar com Barnabé.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

////
Da cabeça de Marcela Balbino em uma conversa despretensiosa em como não dominaremos o mundo, resolvi criar essa lista de sugestões de locais para confraternizações de fim de ano. Nessa época que não tem nada de diferente das outras, mas todo mundo acha que é mágica e que fecha e inicia novos ciclos, todo mundo fica se bolando para definir o local de reunir suas patotinhas. E aí você tem diversas variáveis para esse escolha. Confra do trabalho? Amigos do colégio? Colegas de rua? Temos dinheiro? E por aí vai. De nosso acervo de quase 100 resenhas, escolhi alguns locais para sugerir a quem interessado esteja. E como diria Goulart de Andrade: - Vem comigo!

Modalidade de confra: Reunião após o trabalho.
Nesse tipo de reunião, é preciso saber que por mais abastado que você seja ou que seja o local que você trabalha, existe grande oportunidade de ter alguém com 8 filhos e os avós dividindo a mesma casa. Assim é preciso escolher um local com um preço no mínimo razoável para não constranger os coleguinhas. Outra coisa é escolher um local neutro, afinal, você está saindo do trabalho com seus colegas de trabalho e muito provavelmente algum chefe (ou babão, o que é bem pior). No fim das contas, continua sendo trabalho. Seguem as dicas:
Preço mais ou menos e lugar bem arrumadinho. Abre logo após o expediente.
Comida boa e que dá para muita gente.
Modalidade de confra: Amigos de alguma turminha.
Aqui o melhor é um barzinho. Como todo mundo quer bolar de bem sucedido para os amigos do colégio, da rua ou da infância o preço não é um fator que interessa tanto (eu disse tanto... melhor cada um pagar sua conta, pois sempre tem o cara que toma uma coca-cola e querem empurrar a divisão de todas as cervejas da mesa). Mas como se está mais preocupado com o que se vai beber, em geral não é preciso muito conforto mas, é essencial que se possa conversar. Assim, pensando em cerveja e pouco barulho, seguem as sugestões:
Lugar legal em que o som não incomoda. Várias bebidas e comida. Pague com cartão.
Ele e Ela pra alegrar a noite, cerveja gelada e caipirinha da boa.
Modalidade da confra: Amigos sem frescura e que saem a qualquer hora e muito provavelmente não tem dinheiro.
Agora o caldo entorna! Tem que ser lugar bom, barato e que tenha bebida, diversão e comida! Nesses lugares não importa se tá barulho, se tem que ficar em pé, se vai chover e ter que ficar embaixo da árvore, nada disso importa, o que importa é passar bons momentos com aqueles seus amigos que você xinga e eles xingam de volta (e que você encontrou nas outras duas confras anteriores e não pode se portar como um selvagem, o que é o costume). Clique nas dicas:
Comida boa e barata, cerveja gelada e cachaça quente. Leve dinheiro trocado que lá não aceita cartão.
Podia até repetir a legenda da imagem anterior, mas aqui também tem o adendo de ser quase 24h.
Modalidade de confra: Qualquer uma!
Existe um lugar que é imbatível para qualquer confra. No Mercado da Boa Vista tem tudo que você quiser: comida, preço baixo, ambiente família, show de graça, bebida, tudo, tudo, tudo! Não há melhor lugar para se confraternizar. Você tem que ir!
No Buchada's Bar é comida e bebida. Tudo do bom e do melhor. Iguarias mil da culinária regional com classe e refino (uia!)
Talvez o caldinho mais quente do mercado. O copo e a colher distorcem... mas também tem todos os petiscos famosos e muito gostosos.
Neto's Bar... o melhor do Mercado da Boa Vista... o arrumadinho top e muitos outros tira-gostos sem comparação. Patrimônio culinário do Recife!

Rodolfo Nícolas não tem mais confras...

domingo, 16 de dezembro de 2012

////
Marcela Balbino não conhece seu poder de adaptação e improvisação. Certamente seria uma ótima lutadora, conseguindo sobrepor qualquer falta de treinamento e preparo com criatividade em velocidade espantosa. Isso tudo sem esquecer de lapidar as velhas técnicas e as descobertas. A primeira vez que ela fez o Segredinho da Morena improvisou um bocado, mas ainda assim ficou uma delícia. Até chegar a Mostra Gastronômica RecifEstranhO ela burilou seu prato como um ourives trabalhando com uma pepita.
Segredinho antes de ser contado ao forno
Ingredientes:

500g de Peito de galinha desfiado
100 g de champignon
1 cebola 
1 cenoura
4 colheres de extrato de tomate
1 copo americano de água
1 pitadinha de sal, totalmente a gosto
queijo parmessão, salsa e cebolinha

Zéu Brito ao olhar esse prato diria: Saliva-me!
Modo de preparo:

Tempere o peito de galinha com sal, pimenta do reino e os temperos preferidos de sua casa. Cozinhe e desfie em seguida. Pinique tudo que puder ser pinicado.

Misture a galinha desfiada com todos os ingredientes pinicados acima. Depois coloque em um refratário e cubra com generosas porções de queijo parmesão ralado, salsa e cebolinha. 
Nham nham nham!
Leve ao forno até derreter o queijo.

Engorde à vontade!

Rodolfo Nícolas engorda.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

////
Itamaracá foi o local de belezas mil escolhido para a 1ª Mostra Gastronômica RecifEstranhO
Buscando sempre a melhoria contínua, a inovação e principalmente, uma identidade desconhecida, o RecifEstranhO reuniu grandes nomes da comunicação bloguista recifense para um momento gastronômico e experimental. Enclausuradas na magnífica praia de Itamaracá, 3 garotas rodeadas de belezas naturais precisaram mostrar toda sua força e poder culinário para esfomeados e críticos degustadores.

Em uma série revolucionária, você será apresentado a 3 deliciosas receitas (clique nas receitas para vê-las):
O "Segredinho da Morena", por Marcela Balbino do RecifEstranhO; "BrocoliSky", por Lorena Tapavicsky do RecifEstranhO; e, por fim "Batata Máxima", por Gabriela Máxima do De Episódio em Episódio.
Uma pequena mostra do que os aguarda (esse magnífico arroz carreteiro não entra na nossa mostra, pois o patriarca da família Tapavicsky não escreve para nenhum blog, o que é uma pena)


Rodolfo Nícolas já pensou em transformar o RecifEstranhO em blog de culinária, a primeira receita seria seu delicioso yakimeshi de mortadela.

domingo, 9 de dezembro de 2012

////
Tenho que começar esta resenha com um alerta, se você está lendo este texto no dia 09/12/12, mora em Recife e gosta muito de cinema, dê um jeito de ir assistir ao último dia do VIVO OPEN AIR que está acontecendo aqui. É uma experiência fora de série e fantástica. Não tinha conseguido ir nenhum dia e, após ver De Volta para o Futuro numa tela de cinema na beira mar me maldisse três vezes por ter dado esse vacilo.
Foto retirada do Facebook do VIVO OPEN AIR - Como um ninja silencioso: no escuro e em silêncio...
Cheguei ao local pelas 20:00, apesar de ter saído de casa às 21:00, e tudo na maior tranquilidade, muito bem organizado e sinalizado nos guichês, com várias pessoas dando informações e sendo muito educadas com todos. Com entradas amplas, as pessoas fluíam sem muitos empecilhos. Lá dentro fiquei dando uma passeada e vendo a estrutura do local e, a produção estava impecável. Cobriram todos os pontos, tinha banheiro, locais para comer, vários pontos de apoio para sentar e conversar, uma árvore com luzes verdes muito bonitas. Bem próximo do verdadeiro encanto submarino...

Bem, mas o que chamava mais a atenção era aquela enorme tela de cinema deitada como um Godzilla adormecido. Escolhi um bom lugar e sentei numa daquelas muitas cadeiras de braços e encostos fofos disponíveis. Enquanto comia a pipoca cortesia dada pelo evento fiquei observando as cadeiras de praia em frente a tela e o mar. Ahhhh o mar. Não sei se nas outras cidades por onde o VIVO OPEN AIR passou e passará terão a oportunidade de ver um filme com uma paisagem de fundo tão bonita e com uma brisa tão gostosa no rosto.
Foto retirada do Facebook do VIVO OPEN AIR - Uma árvore verde!
Aí a tela acordou e começou a se movimentar. Realmente parecia Godzilla saindo do mar Lenta e imponente a tela se erguia com uma ótima trilha sonora de fundo, que dava todo o clima do momento. Acho que nem na primeira vez que fui ao cinema (em mil novecentos e bolinha, para ver Esqueceram de mim 2, no extinto Veneza) eu fiquei tão tocado pela magia do cinema. Também, começava a ser exibido um clássico da minha infância e adolescência, da minha vida, para resumir.

Ri e me diverti a beça vendo Marty rodeado por sua família de losers. Para mim pareceu que era a primeira vez que via o De Volta para o Futuro de tão empolgado que fiquei. Esse filme é tão bom e tem um roteiro tão fechadinho e sem furos, que mesmo já tendo assistindo inúmeras vezes e sabendo várias falas decoradas (seja na dublagem clássica ou no áudio original) eu ainda assim ficava tenso se algo ia dar errado.
Não, está quente!
Ainda teve um Brega Naite após o filme, mas não fiquei para ver. Peguei meu Delorean, acelerei até 88 milhas por hora e fui para casa.

Espero que o VIVO OPEN AIR volte a Recife todos os anos (todos, todos, todos!), trazendo sempre um mix recheado de clássicos como o dessa edição. Posso até sugerir o que passar. Lá vai. Os Intocáveis, Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida, Os Gonnies, Edward Mãos de Tesoura, Cidade de Deus, O Silêncio dos Inocentes, Recife Frio, etc.

Anybody home Rodolfo Nícolas? Anybody home?

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

////
O Recife Estranho também fala sobre amor. É em meio à arte, esboços, desenhos e tintas, que se delineia o romance entre o artista plástico Murillo La Greca e Sílvia Decusati. Um sentimento que nasce na sala de aula, mais precisamente na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, quando La Greca era professor de Sílvia. Relações passionais entre mestres e discípulas, médicos e pacientes, são muitas e famosas, a exemplo da ardente paixão entre o psicanalista Dr. Carl Jung e sua paciente e depois aluna, Sabina Spielrein (assista o filme Um método perigoso). Diferentemente de Jung e Sabina, impossibilitados de realizar socialmente o relacionamento, pois mantinham um caso extra-conjugal, Murilo e Sílvia viveram um amor realizável e, me parece, que em sincronia muito rara de se encontrar nos dias de hoje.
Jovem contemplador
Casaram-se em 1936 e tiveram uma convivência de 31 anos até a morte de Sílvia. A ex-aluna, mais que esposa era companheira de profissão, pois também era pintora, e musa inspiradora. O Museu Murillo La Greca, em Recife, foi fundado pelo artista plástico em homenagem a ela e com ajuda da Prefeitura do Recife. Lá, é possível perceber que, além das pinturas históricas e sacras, ele também pintou sua Sílvia em vários momentos.
Sílvia em vários momentos
Declaração de amor de Murillo a Sílvia
Sílvia pelos olhos e mãos de seu amado
Com a morte da esposa, Murillo diminui o ritmo de produção e se entrega a depressão. Vive, ainda, durante 18 anos sob a sombra desse amor e sob a obstinação de expressá-lo. Um dos quadros (podem ser vistos no Museu Murillo La Greca), em especial, talvez traduza o olhar de veneração do pintor em relação a Sílvia. Ela, com um véu cobrindo os cabelos e segurando um vaso de argila, é tão pura e de feições inocentes e até infantis, quase uma divindade.

Selecionamos imagens da nossa visitação ao La Greca, ainda no mês de janeiro deste ano (2012), com destaque para a fachada do prédio, sempre em rotatividade, o que dá um aspecto dinâmico e de atualidade ao espaço. Resgatamos uma foto da visitação anterior que fizemos em 2011, também na fachada, só a título de recapitulação. Estamos clientes fieis do La Greca.
O Museu Murillo La Grecca fica na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, 366 - Parnamirim, Recife- PE. Funciona de Terça a sexta, das 9h às 17h e sábados e domingos, das 13h às 17h. A entrada é gratuita.

Contatos:
3355.3127/3126
murillolagreca@gmail.com

Raquel Rocha além de jornalista e poetisa, é apaixonada. Ela eventualmente colabora com o RecifEstranhO.